sábado, 16 de novembro de 2013

PERFINS




A pesquisa filatélica se faz imprescindível em todas as colecções, e
os perfins estão sendo descobertos como um novo tipo de peça
filatélica a valorizar uma colecção. Talvez não tenham a mesma força
que o inteiro postal teve durante um grande período nas colecções
temáticas, mas tornar-se-ão presentes nas principais colecções.

A expressão PERFINS é originário da junção das letras "perforated
initials"; mas além de letras, encontramos diversos tipos de
perfurações, entre desenhos, números e outros. Estas perfurações,
podem retratar de uma forma original um aspecto da colecção, trazendo
as iniciais ou o nome da empresa, ou mesmo pela ilustração do perfin.

Justificava-se a perfuração dos selos como uma protecção ao capital,
evitando a utilização destes selos por outrem, e em caso de furto
poder identificar o larápio.

Coleccionar perfins é algo difícil, e ao mesmo tempo fácil.

Organizá-los, e muitas vezes classificá-los é um problema, adquiri-
los nem tanto; apesar de ser um ramo do coleccionismo em que os
comerciantes estão começando a especular.

Durante muito tempo foram considerados como lixo, ou melhor, selos
com defeitos e consequentemente inapropriados para o coleccionismo.

Independente disto, existem muitas pessoas interessadas em coleccionar
perfins, existindo inclusive Clubes especializados nesta área.

Diversas são as maneiras que se poderia organizar uma colecção. Poder-
se-ia coleccionar perfins de um determinado país ou separá-los por
assunto.

A escolha do país a ser coleccionado pode apresentar dificuldades,
pois existem países com menos de uma dúzia de perfins diferentes,
como é o caso do Brasil; e outros com mais de vinte mil, no caso da
Grã-Bretanha.

Separá-los por temas, pode se interessante, sendo estradas de ferro,
bancos, hospitais, algumas sugestões.

Neste caso, corre-se o risco de organizar uma colecção monótona e
consequentemente não muito atraente. Mas os perfins poderiam ser
usados com mais frequência nas colecções temáticas actuais, visando
diversificar o material apresentado, quebrando então uma possível
monotonia.

Montar uma colecção específica de perfins, para participar de
exposições, pode trazer para o coleccionador alguns dissabores, afinal
muitos dos jurados provavelmente viveram esta época e ainda comungam
dessa opinião, desconsiderando esse tipo de coleccionismo. Constata-se
uma certa precaução quanto a este tipo de material formar um
conjunto, que se poderia chamar colecção.

A colecção apenas de perfins, pode não ser visualmente extremamente
atraente, mas todo o coleccionador temático a olhará para buscar
subsídios para seu tema, e quando possível deverá incluí-los na sua
colecção. Desta maneira os perfins começam a ter o destaque que
merecem.

O catálogo da exposição Genova-92 reproduz diversas folhas de
colecções que receberam boas premiações, e em algumas observamos a
presença de selos perfurados. Seguramente um indício do seu aceite
como uma peça filatélica perfeitamente válida.

(Artigo Publicado no SETE - Florianópolisplis, ANO: I — Número: VII)